ESTUDO DA COBERTURA DE NUVENS NO SERTÃO CENTRAL DO CEARÁ, MEDIDO PELO SATÉLITE SCD2 DO INPE

Autores

  • Nelson Veissid Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, Laboratório Associado de Sensores e Materiais, LABAS-COCTE-INPE

Resumo

O segundo satélite da Missão Espacial Completa Brasileira do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais foi colocado em órbita em 23 de outubro de 1998 e leva a bordo um experimento de células solares produzidas no Brasil. O principal objetivo deste experimento é o de qualificar as células em missão. Ele atua como um sensor de radiação e pode medir a radiação solar direta e a parte desta radiação que é refletida pelo planeta Terra. Portanto, como um subproduto, o experimento mede o albedo planetário e estatística realizada nos dados de albedo permite estudar padrões e tendências para diferentes áreas sobre a América do Sul. O sertão central do Ceará foi escolhido para este estudo porque é uma área de interesse para o Congresso. A região é um quadrado de 2° de lados em latitude e longitude centrado em 5° Sul e 39,5° Oeste. Nesta área, as curvas de tendências anuais e trimestrais e seus respectivos desvios padrão (variabilidade) mostram que os valores do albedo planetário estão com tendência em diminuir e, este fato, é mais intenso no trimestre referente aos meses de Dezembro, Janeiro e Fevereiro. O trabalho, também, mostra o estudo da fração da cobertura de nuvens usando dados do albedo planetário, o qual apresenta diminuição em valor absoluto de 0,20% por ano.

Downloads

Publicado

2021-11-08